Image1

Indústria de alimentos nos Pampas da América do Sul: Cultura, Economia, Sociedade e Território.

Días y horarios: Viernes 4. Toda la jornada.

Salón: F2

Coordenadores:

•    Carlos Alberto Oliveira de Oliveira (Universidade Estadual de Santa Cruz, Brasil) Esta dirección electrónica esta protegida contra spam bots. Necesita activar JavaScript para visualizarla
•    Paulo Roberto Rodrigues Soares  (Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil) Esta dirección electrónica esta protegida contra spam bots. Necesita activar JavaScript para visualizarla

Resumen:

Homem, Pampa, os rebanhos e as atividades agrícolas e industriais derivadas. Impossível recuperar as imagens da área chamada de Pampa no sul do continente americano. A precisão da palavra carrega imprecisões geográficas que incluem diversos domínios naturais das latitudes meridionais da América do Sul. A área inclui as coxilhas com pradarias mistas que dominam o sul do estado do Rio Grande do Sul e o Uruguai, bem como o pampa úmido com pradarias extensivas com limites entre o rio da Prata e Baía Blanca na Argentina. Este território é confrontado a leste pelo Oceano Atlântico, a oeste pelas primeiras altitudes andinas e ao sul pelas estepes patagônicas.
A área, polarizada por Buenos Aires e Montevideo, metrópoles platinas e Porto Alegre, a metrópole meridional brasileira, comporta uma miríade de cidades médias e pequeñas que devem ser analisadas, em relação ao seu habitante típico, o gaúcho, com a região de domínio da pecuária, os seus rebanhos e a produção de alimentos. A indústria alimentícia tem papel importante neste contexto. Implantadas em princípios do século XX, várias empresas - em especial os frigoríficos - marcaram por longas décadas a economia, a sociedade e o território. Entretanto, após meio século de existência, suas atividades entraram em declínio, provocando crise e desemprego na vasta região.
O Simpósio Temático (ST) busca discutir a importância da indústria de alimentos, em especial a de carnes, na e para a região chamada de Pampa, ao longo do Século XX, com os impactos da sua crise nas cidades e nos campos. A análise principal recai sobre os impactos da indústria de alimentos na transformação da cultura, da economia, da sociedade e do território, uma vez que sua implantação representou a chegada da "modernidade urbana" sobre sua base econômica natural (a pecuária) e sua sociedade pastoril.
O ST (ST) busca um debate multidisciplinar, trazendo a contribuição de diferentes olhares e leituras no âmbito da História, da Geografia e das Ciências Sociais na análise comparativa regional, sobretudo do sul do Brasil, do Uruguai e da Argentina em torno ao tema.

Ponencias:

1. Carlos Alberto de Oliveira (Universidade Estadual de Santa Cruz) “O Fechamento da Companhia Swift na Cidade do Rio Grande (Brasil)”.    

2. Luiz Fernando Mazzini Fontoura (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) “As transformações na matriz produtiva na Região da Campanha do Rio Grande do Sul”.

3. Paulo Roberto R. Soares (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) “Espacio e industria en la construcción social de la forma urbana: la ciudad de Pelotas (Brasil) en la transición de los siglos XIX y XX”

4. Thiago Cedrez da Silva; Edgar Ávila Gandra (Universidade Federal de Pelotas) “Terras de portuários: uma análise histórica da presença dos obreiros do porto no desenvolvimento do Bairro Getúlio Vargas, Rio Grande/RS, Brasil”.     

5. Márcia Rosane Goulart Mesquita Álvaro; César Augusto Ávila Martins (Universidade Federal do Rio Grande) “Agroindústria de pescado em águas continentais no sul do Rio Grande do Sul”.

6. Marco Antônio da Gama Renner; César Augusto Ávila Martins (Universidade Federal do Rio Grande) “Industrialização de pescado no município do Rio Grande”.

7. Marcus Vinicius Spolle (Universidade Federal de Pelotas) “A organização da etno-economia das comunidades de remanescentes de quilombo no sul do Rio Grande do Sul”.

8. Paulo Henrique Schlickmann (Universidade Federal de Santa Catarina) “A vanguarda das embalagens plásticas na indústria de alimentos”.